quarta-feira, 23 de Julho de 2014

Comentadores: franceses têm dúvidas em relação a David Luiz e Thiago Silva

* Agência AFP

André Fontenelle diz entender capa da revista "France Football" que coloca centrais do Paris Saint-Germain como "náufragos" da Copa do Mundo

A revista francesa "France Football" se mostrou preocupada em relação à defesa do Paris Saint-Germain para a próximo temporada, formada por Thiago Silva e David Luiz. A publicação questiona como os brasileiros irão atuar após o fracasso apresentado na Copa do Mundo de 2014 vestindo a camisa do Brasil. O jornalista André Fontenelle, convidado do "Redação SporTV", disse concordar com o temor em relação aos jogadores em função do fraco desempenho no Mundial.

- Se eu entendi bem, a revista quis dizer que o David Luiz tem um posicionamento que deixa a desejar, imprevisível em campo. Vendo a actuação contra a Alemanha, se vê isso. Imagino como fica preocupada a torcida do PSG, vendo a insegurança de seu líder. Vendo também como se comportou o recém contratado, que abandou a defesa no quinto golo da Alemanha, deixando buraco na defesa - disse.

Na análise do comentarista Raphael Rezende, Thiago Silva e David Luiz apresentaram problemas diferentes na Copa. O primeiro, segundo ele, ficou abalado emocionalmente desde a disputa de pênaltis contra o Chile. No duelo, válido pelas oitavas de final, o central mal conseguiu acompanhar as cobranças e chorou muito em campo. Já o segundo cometeu erros tácticos na eliminação para a Alemanha e na disputa pelo terceiro lugar contra a Holanda.

- A análise para o David Luiz é técnica. Para o Thiago Silva, é psicológica. Acho que ele foi bem dentro de campo, talvez tenha sido uma escolha errada para capitão - disse.

Actual campeão, o PSG estreia no Campeonato Francês no dia 8 de Agosto, contra o Reims.

Fonte: SporTV

quinta-feira, 17 de Julho de 2014

David Luiz vence disputa do golo mais bonito da Copa do Mundo

* Agência Reuters 

Nem tudo foi derrota para o Brasil na Copa do Mundo. David Luiz, representante brasileiro no inquérito de golos mais bonitos do Mundial 2014, ficou em primeiro lugar com 41,86% dos votos. O centrar marcou um golaço de falta na vitória da selecção brasileira por 2 a 0 contra a Colômbia, pelas quartas de final. O encantamento do golo se deu pela forma da batida na bola, de "chapa", mas com muita força e efeito. O camisa 4 bateu nomes como James Rodríguez, Van Persie e Lionel Messi em disputa com 10 candidatos.

O colombiano James ficou em segundo com 32,56%. No duelo contra o Uruguai pelas oitavas de final, o camisa 10 brindou a todos que compareceram ao Maracanã com um belo domínio no peito e um giro espectacular. A bola entrou no ângulo do guarda-redes Muslera. O meia foi o autor dos dois golos na vitória por 2 a 0.

O inquérito também teve um representante da terceira melhor selecção da Copa do Mundo. E na disputa do "É Golo!!!", o holandês Van Persie também ficou em terceiro, com 15,29%. O atacante brilhou na goleada por 5 a 1 sobre a Espanha, no estreia pelo Mundial, aproveitando um cruzamento com jeito de passe e se jogando para tocar de cabeça, encobrindo o guarda-redes Casillas.

Tim Cahill, da Austrália, ficou em quarto com 5,44%. Lionel Messi participou da disputa com dois golos. O argentino ficou em quinto com 2,36% no golo contra o Irã, e em sexto com 1,84% no golo contra o Bósnia.

Completam o resultado de golo mais bonito Jermaine Jones, dos Estados Unidos, com 0,259%; Giovani dos Santos, do México, com 0,156%; Julian Green, dos Estados Unidos, com 0,13% e Granit Xhaka, da Suíça, com 0,104%.


Fonte: SporTV

quarta-feira, 16 de Julho de 2014

Comentadores elegem selecção da Copa, sem Messi e com David Luiz

* Agência AFP

Equipa do SporTV monta equipa ideal com sete finalistas; Central é único representante do país; Kompany, Pogba e Robben completam equipa

A Alemanha derrotou a Argentina por 1 a 0 e conquistou o quarto título mundial. Antes da final no Maracanã, comentaristas do SporTV montaram o time ideal para a seleção do Mundial 2014 com cinco atletas da equipe campeã, (Neuer, Lahm, Kroos Schweinsteiger e Müller) e dois da finalista Argentina (Rojo e Mascherano). A campanha do Brasil, manchada por duas goleadas na fase decisiva do torneio, deixou consequências e o central David Luiz é o único representante brasileiro entre os 11 melhores. Eleito o melhor jogador da Copa por representantes da Fifa, em decisão polêmica, Lionel Messi fica fora. Kompany (Bélgica), Pogba (França) e Robben (Holanda) completam o time.

Onze analistas do Canal Campeão tiveram a missão de escolher, individualmente, o melhor jogador para uma determinada posição.

Como melhor guarda-redes, Carlos Eduardo Lino elegeu o alemão Neuer, mas fez uma menção honrosa a Romero, que classificou a Argentina para a final depois de pegar dois pênaltis da Holanda. Belletti, lateral-direito pentacampeão com o Brasil em 2002, selecionou Lahm. Convocado para três Copas do Mund, o ex-central Edinho votou no belga Kompany para a defesa devido a sua técnica e velocidade. Já Ricardo Rocha, tetracampeão em 94, "salvou" David Luiz devido a sua liderança e espírito de luta. Wagner Vilaron completou a defesa com o lateral-esquerdo argentino Rojo, por aliar capacidade defensiva e força ofensiva.

Para o meio-campo, Mascherano foi selecionado como primeiro volante pelo jornalista André Rizek, pela liderança e orientação dos argentinos em campo. Luiz Ademar indicou o alemão Schweinsteiger pela polivalência. O francês Pogba foi escolhido por Maurício Noriega para ocupar o meio-campo pelo lado direito em função de sua qualidade na transição defesa-ataque. Ricardinho, pentacampeão com o Brasil em 2002, votou em Kroos como o melhor meio-campista da Copa pela habilidade e por ser um jogador "moderno".

Na frente, Lédio Carmona indicou o holandês Robben como o melhor atacante do Mundial 2014 por ser veloz, objetivo e muito eficiente na finalização. A equipa ideal da Copa do Mundo do Brasil fica completo com o alemão Thomas Müller, selecionado por André Lofredo, devido a sua movimentação e posicionamento.

Fonte: SporTV

Depois de perder Copa em casa, David Luiz pensa em Olimpíadas no Rio

* Sergio Barzaghi/Gazeta Press

David Luiz se diz um privilegiado por ter disputado uma Copa do Mundo no seu país, e quer viver situação similar daqui dois anos. O central se coloca à disposição para ser um dos três jogadores com mais de 23 anos que podem representar a Selecção Brasileira na Olímpiadas do Rio de Janeiro.

“Eu gostaria muito e vou fazer de tudo para ter a oportunidade de disputar as Olimpíadas”, disse o jogador, que tem passagens pela Selecção Brasileira sub-20, chegando a disputar o Mundial da categoria em 2007, e que faz parte do seleccionado principal desde 2010. Até 2016, contudo, o seu foco vestindo verde e amarelo será inédito. Pela primeira vez, o agora jogador do Paris Saint-Germain participará das Eliminatórias para a Copa do Mundo – nos últimos quatro anos, o Brasil não precisou actuar a competição por já estar garantido no Mundial como anfitrião.

David Luiz se diz animado. “Minha vontade é a mesma de sempre: representar o nosso país da melhor maneira possível, querer levar meu país para a Copa de 2018 e obrigado Deus por ter oportunidades como essa de recomeçar”, falou, sedento por deixar a frustração de 2014 para trás.

“Vou fazer de tudo para ter a minha oportunidade de estar na Selecção Brasileira de novo e mostrar o meu trabalho porque amo estar aqui, na alegria ou na tristeza, na vitória ou na derrota. Amo muito representar o meu país”, declarou-se.

David Luiz agradece à Copa pela oportunidade de se tornar exemplo para jovens do Brasil

Gazeta Press

Central que actua no Chelsea caiu nas graças da torcida durante o Mundial

A defesa brasileira sofreu dez golos nos dois últimos jogos da frustrante campanha que rendeu só o quarto lugar aos anfitriões da Copa do Mundo, mas nenhuma frustração tira de David Luiz uma vitória particular em seu primeiro Mundial. O central, que joga na Europa desde 2007, se tornou um ídolo para a torcida nacional, só sendo superado por Neymar no gosto popular.

A empatia entre o defensor e os brasileiros ficou clara mesmo na disputa do terceiro lugar, quatro dias após a humilhante derrota para a Alemanha na semifinal. Bastava aparecer a cabelereira característica do jogador no telão ou seu nome ser anunciado para gerar furor nos presentes no Mané Garrincha. Por isso, o camisa 4 pôde sair de Brasília com motivo para sorrir mesmo após perder por 3 a 0 para a Holanda no adeus da Selecção à Copa.

“Sou grato por ver que, no meu país, as pessoas puderam ver como sou, mesmo com a minha carreira toda construída na Europa. Graças a Deus, tive a oportunidade de mostrar a pessoa que sou, o que sempre quis. Fico surpreso e feliz porque, muitas vezes, é difícil como central ser ídolo dessa forma no futebol, sei muito bem disso. Podem ter certeza de que esse é um dos grandes confortos que tenho no meu coração”, discursou, sentindo-se um exemplo.

“Há coisas muito mais valiosas que podemos passar para a sociedade, hoje o jogador de futebol tem a oportunidade de ser um grande exemplo para a sociedade. Sempre quis passar o que sou: um cara simples, abençoado e privilegiado por Deus por ter a melhor profissão do mundo. Sempre tentei mostrar para as crianças ou para nova geração o que tenho de melhor, que é, simplesmente, ser eu, em todos os sentidos, em todos os momentos”, definiu-se. Se coloca a transparência como sua melhor característica, o atleta de 27 anos, autor de dois golos na Copa, não pode esconder que acabou o torneio entristecido. “Eu preferiria uma Copa totalmente ruim para mim e ter o título, podem ter certeza absoluta disso. Nunca fui egoísta, sempre pensei nos outros. Isso, às vezes, é ruim, mas sou assim, é isso que me traz felicidade”, indicando, trabalhando com base em autoajuda para actuar como líder e indicar a melhora da equipa.

“O que não nos mata nos deixa mais fortes, e existem pessoas que passam por inúmeras dificuldades muito maiores do que as nossas. É colocar os pés no chão, manter o que fizemos de positivo no futuro e melhorar o que fizemos de negativo para nos tornarmos cada vez mais fortes. Ficamos felizes por ter a oportunidade de, no futuro, mudar isso”, falou, pensando em 2008, mas sem esquecer do tratamento de astro recebido em 2014.

“Como não vou agradecer por ser um dos caras escolhidos por Deus para ter a oportunidade de disputar a Copa no meu país, uma Copa do Mundo onde a Copa sorriu também para mim de forma maravilhosa até as quartas de final. De repente, teve aquele duro golpe onde todos ficaram tristes, abatidos, mas precisamos ter a humildade de reconhecer e ver onde erramos”, ensinou.

David Luiz concorre a golo mais bonito da Copa

* Stefano Rellandini | Reuters

O brasileiro David Luiz pode ter um dos seus golos escolhido como o mais bonito da Copa do Mundo. O tento em questão foi uma cobrança de falta contra a Colômbia, que deu a vitória para a equipe brasileira.

A votação foi iniciada pela Fifa e conta com outros 14 golos. A jogada de David Luiz é o único do Brasil a participar da selecção, que conta com golos do colombiano, James Rodrígues, do argentino Lionel Messi, do holandês Robben e um dos sete golos que o Brasil recebeu na partida contra a Alemanha.

A eleição será pela internet no site da Fifa, onde é possível rever os lances.

Reveja o golo de David Luiz:


Fonte: A Tarde

segunda-feira, 14 de Julho de 2014

Queridinho da Copa 2014, David Luiz diz que carinho da torcida é conforto para derrotas

* Lars Baron/Getty Images

O central se disse surpreso e feliz com a relação com a torcida

Sensação da torcida brasileira na Copa 2014, o central David Luiz disse que tem a torcida como conforto e acredita que esse mundial serviu para reacender a chama entre a equipa e os brasileiros. O central falou com a imprensa neste sábado (12), em Brasília, após a derrota contra a Holanda por 3 a 0 na disputa pelo terceiro lugar.

— Fiquei surpreso e feliz com esse carinho. É difícil virar ídolo como central e por isso eu fiquei surpreso e muito feliz. Agradeço muito porque esse, podem ter certeza, é um dos grandes confortos que tenho no meu coração.

A gente que conseguiu esse laço forte com a torcida e conseguiu reacender essa chama, que ao longo dos anos a torcida tinha perdido um pouco isso essa ligação foi reacendida.

Para o central, a Copa do Brasil foi uma grande oportunidade de ser reconhecido pelos brasileiros, apesar da derrota e de algumas vaias nos dois últimos jogos.

— Alguns vaiaram e outros aplaudiram. Ninguém quer sair do campo perdedor, nem hoje e nem nunca. Tive a grande oportunidade de Deus de jogar no meu País, eu já estou há nove anos na Europa e as pessoas nem sempre tiveram a oportunidade de me conhecer. Há coisas muito valiosas que a gente pode passar para a sociedade. Sempre tentei passar quem eu sou. Cara simples com a melhor profissão do mundo e abençoado.

David Luiz admitiu que a sua actuação nos dois últimos jogos não foi a esperada.

— Eu sempre tive a minha característica de humildade para aprender. Claro que eu fiquei triste como um jogador de defesa, levar 10 golos em uma partida para um central é triste. O que não nos mata nos deixa mais forte e há pessoas que passam por dificuldades muito maiores que as nossas. Mas é ter os pés no chão a e aprender porque vamos ter oportunidade.

Fonte: R7 Esportes

Por tempo com Felipão, David Luiz vê quarto lugar como "saldo positivo"

* Mowa Press

Central lembra que técnico assumiu a Selecção em 2012 ao comentar a campanha da equipe na Copa, mas reconhece decepção dos torcedores 

O Brasil se despediu da Copa do Mundo com mais uma derrota e terminou no quarto lugar. Após o revés por 3 a 0 para a Holanda, no Mané Garrincha, neste sábado, David Luiz acredita que a posição acabou sendo satisfatória pelo período de preparação da equipe sob o comando de Luiz Felipe Scolari, que assumiu a equipa no fim de 2012. Entretanto, ele reconhece que a torcida sai decepcionada.

- Um grupo que começou há um ano e meio o trabalho, chegar entre os quatro é um saldo positivo, por tudo que a gente fez, da forma com que a gente trabalhou. Na forma de pensar como brasileiro apaixonado por futebol a gente não fica feliz. A gente foi acostumado a ganhar, a jogar bem, e nós jogadores também temos esse feeling, sentimos da mesmo forma. Gostaríamos de ter ganhado o título, depois de uma derrota pesada o nível emocional foi lá embaixo, todo mundo ficou triste. Hoje entramos com a vontade de ganhar, mas sabíamos que não é a mesma coisa. Infelizmente perdemos mais um jogo da Copa do Mundo, mas agora é levantar a cabeça, porque não pode parar - disse o central.

O jogador ainda lembrou os momentos que antecederam a Copa, quando os jogadores sonhavam com o título. Por fim, ele pediu reacção dos jogadores para o próximo ciclo.

- Teve aquele jogo que foi inexplicável, que a gente teve aquele apagão onde todo mundo ficou baqueado, triste. Depois de alimentarmos um sonho incrível, país inteiro mobilizado, e de repente aconteceu aquilo na semifinal que a gente não teve nem reacção. É difícil analisar. E depois vem para disputa de um terceiro que a gente queria também, para coroar pelo menos o que a gente tem feito, dar esse bronze para a torcida, que foi fantástica, mas também não aconteceu. A gente sabia que não era a mesma coisa. Infelizmente aconteceu e agora é erguer a cabeça, enfrentar aquilo que a gente tem de enfrentar, e bola pra frente - afirmou o jogador.

Fonte: SporTV

David Luiz: «Sofremos um golo cedo e voltaram os pensamentos horríveis»


Defesa apela à reflexão

David Luiz, jogador do Brasil, em declarações reproduzidas pela RTP após a derrota com a Holanda, no jogo de atribuição do terceiro lugar do Mundial2014:

«O jogo da Alemanha foi um duro golpe. Ainda hoje paramos para assistir e não há explicação para o que aconteceu naquele dia. Depois tentámos reanimar, mas o golpe emocional foi grande. O pais alimentou a esperança de ser campeão do mundo. De repente estás fora da final, em casa, da forma que aconteceu. Entrámos em campo com vontade de acabar bem mas infelizmente não aconteceu. Sofremos um golo cedo e voltaram os pensamentos horríveis que estávamos a tentar esquecer, mas que ainda não tínhamos esquecido.»

«Temos de ter humildade e maturidade para entender a razão das coisas, ver o que errou e pensar nas equipas que estão juntas há seis ou sete anos. Estar nos quatro melhores depois de um ano e meio juntos não é a pior coisa do mundo. Fizemos um trabalho bom. Nem óptimo nem excelente.»

Fonte: Mais Futebol

sexta-feira, 11 de Julho de 2014

Mesmo após goleada, Brasil tem quatro jogadores no top 10 da Fifa

* Felipe Dana/AP Photo

Até o momento, Toni Kroos lidera a lista dos melhores jogadores da Copa segunda as estatísticas. Ele fez dois golos contra o Brasil

A Fifa divulgou nesta quinta-feira (10) uma nova actualização do seu ranking dos melhores jogadores da Copa. A lista, que selecciona os melhores atletas de acordo com estatísticas, é liderada pelo meia Toni Kroos, da Alemanha.

Kroos fez uma brilhante partida na semifinal. Ele foi fundamental na goleada da Alemanha contra a Selecção Brasileira. Foi ele quem cobrou o canto que resultou no primeiro golo alemão, e ele ainda marcou o terceiro e o quarto daquela partida. Em toda a Copa, ele acertou 85% dos passes, deu quatro assistências e fez apenas 4 faltas.

Mesmo perdendo de 7 a 1 para a Alemanha, a Selecção Brasileira continua com jogadores na lista dos dez melhores da Copa. Thiago Silva, que não jogou por conta de uma suspensão, é o brasileiro mais bem colocado, na quarta posição. Em quinto está Oscar, autor do único golo do Brasil na semifinal. David Luiz está em oitavo, e Neymar, em décimo.

O índice leva em consideração a quantidade de passes certos, desarmes, chutes e golos, e cada jogada é avaliada conforme o local em que ela ocorre - roubar a bola na própria área, evitando um golo, vale mais pontos do que o mesmo lance no meio de campo.

Confira os dez melhores jogadores da Copa até o momento.

1. Toni Kroos, Alemanha (9.79)
2. Karim Benzema, França (9.74)
3. Arjen Robben, Holanda (9.7)
4. Thiago Silva, Brasil (9.66)
5. Oscar, Brasil (9.63)
6. Stefan de Vrij, Holanda (9.59)
7. Thomas Muller, Alemanha (9.56)
8. David Luiz, Brasil (9.54)
9. James Rodriguez, Colômbia (9.51)
10. Neymar, Brasil (9.48)

Fonte: Época

Enfim, um homem sensível (Crónica de Ivan Martins)

* AP Photo/Themba Hadebe

O zagueiro David Luiz não deu show de bola, mas mostrou como se comporta um novo homem de verdade

Se eu pudesse escolher uma imagem para representar a Copa de 2014, seria a de David Luiz deixando o estádio do Mineirão com lágrimas nos olhos, pedindo desculpas
à multidão nas arquibancadas. Minha impressão é que esse rapaz veio a simbolizar, nos últimos dias, por seu comportamento e por suas atitudes, algumas novidades positivas a respeito dos homens brasileiros. Nos momentos de alegria e de tristeza, ele fez com que a gente se orgulhasse dele – e, por extensão, de nós mesmos. Não se pode pedir mais que isso de um herói.

Ontem, ao final daquele jogo terrível com a Alemanha, que encheu de vergonha os que gostam de futebol, David Luiz não tentou inventar explicações que salvassem a sua pele ou a de seus colegas de time. Ele simplesmente chorou diante das câmeras, depois de ter lutado em campo, reiterando, de uma forma que parecia muito sincera, o quanto era importante para ele “dar alegria ao povo sofrido do Brasil” e como lhe doía haver falhado de forma tão miserável nessa missão. Numa profissão dominada por milionários consumistas, desconectados das pessoas que lhes garantem a fama e a fortuna, me comoveu ver um sujeito com os sentimentos tão próximos aos dos torcedores. David Luiz, como nós, estava triste e envergonhado, e teve a grandeza de expor isso em público, sem subterfúgios.

Muitos dirão que ele teve culpa no gol sofrido pelo Brasil e na debacle que conduziu ao placar de 7 a1 a favor da Alemanha. A esses eu diria que não há nada pior do que ser o capitão de um general incompetente. David Luiz, como os demais jogadores, entrou em campo totalmente despreparado para enfrentar o que veio pela frente. O time estava mal escalado, mal orientado e mal treinado. Quando a partida começou, ficou evidente que jogávamos um futebol obsoleto e ultrapassado, enquanto os alemães se moviam pelo campo de forma eficiente e harmoniosa. Parecia haver no Mineirão equipes de duas épocas diferentes, ou praticantes de dois esportes distintos. Era cruel e doloroso ver como uns sobrepujavam os outros com tanta facilidade, a ponto de os alemães parecerem constrangidos. Eles tinham um time, nós éramos um bando que rapidamente se desfez, inclusive emocionalmente. Os jogadores, no entanto, tiveram de continuar em campo, desorientados, entregues à própria sorte e às vaias, construindo, ao longo de 90 minutos, memórias que irão persegui-los pelo resto de suas vidas, injustamente.

O verdadeiro responsável pelo desastre, o general incompetente, deu outro tipo de entrevista ao final do jogo. Sem lágrimas, sem pedidos sinceros de desculpas – a palavra “desculpas” escapou no meio de uma frase comprida, sem muita ênfase – Luiz Filipe Scolari assumiu a responsabilidade pela derrota numa frase ambígua (“o time dirá que eles são responsáveis, mas o responsável sou eu”) e, assim que pôde, sacou a imagem da “pane” da equipe, como se a derrota monumental, espetacular, medonha fosse um mero acidente mecânico, um mau funcionamento imprevisível e inexplicável. Felipão não entendeu porque foi derrotado, (ele parece não ter as ferramentas profissionais para isso), mas tenta fazer parecer que a culpa não é dele. Nada mais distante da humildade de David Luiz do que a arrogância do general derrotado que não perde a pose. Um pede desculpas com sinceridade. O outro deixa claro que a culpa não é realmente dele.

Vocês percebem a diferença? De um lado está o velho clichê da masculinidade: você agride para impedir as críticas, você não admite erros e nem exibe vulnerabilidade, seu objetivo é prevalecer, não dizer a verdade ou ser feliz. Faz parte disso a teimosia – que garante que o sucesso é apenas seu – e a insinceridade, que permite manipular os sentimentos do outro. No trabalho ou nas relações pessoais, esse é um modelo antigo e ainda muito utilizado. Do outro lado, há um modelo novo, mais tocado pela lógica feminina, que admite culpa, que inclui a sensibilidade e a opinião do outro, que desabafa, que deseja expor e conversar. No modelo velho, antigo, as relações pessoais e profissionais são uma farsa manipulativa com o objetivo de vitória. A derrota tem de ser escondida e negada, porque enfraquece. A auto-ilusão e a negação são a regra. Qualquer outra coisa é sinal de fraqueza. Diante disso tudo que o Felipão representa, David Luiz me parece uma imensa novidade. Sai de cena o macho gaúcho e manipulador e entra o homem sensível.

O jovem cabeludo de Diadema é um cara capaz de lutar como um leão, como fez em todas as partidas, mas doce o suficiente para abraçar o adversário e consolá-lo na derrota, como aconteceu ao final do jogo com a Colômbia. É um sujeito capaz de se emocionar, de chorar, de pedir desculpas. Ele assume responsabilidades difíceis, como bater o primeiro pênalti, mas brinca e ri com os colegas como um igual. Tem liderança natural, É um cara que exibe o raro sentimento de empatia, a qualidade de quem consegue se colocar no lugar do outro. Num mundo agressivo e egoísta, em que as pessoas são ensinadas a impor os seus desejos e evadir-se dos erros e das responsabilidades, as atitudes públicas do David Luiz me parecem um exemplo sensacional. Até a namorada dele, a modelo portuguesa Sara Madeira, não tem muito a ver com as loiras de corpo voluptuoso que os atletas vencedores exibem por aí. A moça é linda, mas normal. Não parece outro item no catálogo de ostentação de um jovem milionário.

Seria uma injustiça se David Luiz entrasse para a história como representante de uma geração de perdedores estigmatizados, como aquela da Copa de 1950 no Maracanã. Eu acredito sinceramente que ele não tem culpa. Ninguém avança numa competição dessa sem bons líderes, sem uma sólida orientação. Acabou-se a época dos improvisos. O caráter de David Luiz e de seus colegas de time não bastou para enfrentar o preparo superior dos alemães. Por causa disso eles foram humilhados diante de centenas de milhões de pessoas no mundo inteiro, e nós com eles. Foi um aprendizado terrível. Tomara que ele traga algum fruto ao futebol e à consciência do país. Quanto ao David Luiz, que ele possa andar por aí de cabeça erguida, cabelos crespos ao vento, rindo e chorando quando tiver vontade. A era dos gaúchos durões acabou.

Fonte: Época

Menina escreve carta para o jogador David Luiz e emociona internautas

* Divulgação

A pequena Ana Luz ficou muito triste ao ver o atleta chorando após o último jogo do Brasil. Por isso, ela escreveu uma carta de consolo para o jogador

Sem dúvida, David Luiz é o jogador da selecção brasileira mais sensível. A menina de 9 anos, Ana Luz, também é tão sentimental quanto o central. Isso é evidente quando pode-se ler a cartinha que a menina escreveu para David logo após a disputa que derrotou o Brasil contra a Alemanha, no dia 8 de Julho, no Mineirão, em Belo Horizonte.

Com intuito de chegar até as mãos do jogador, a mãe da menina, Renata Penna, publicou no Facebook a carta de Ana. O post já teve mais de 10 mil partilhas e mais de 23 mil gostos.

Na publicação, Renata diz que “tem muita criança de 9 anos que já sabe de tudo aquilo que tá cheio de marmanjo precisando aprender”.

A mãe fez isso porque, desde o início dos jogos, a filha 'se apaixonou' pelo jogador e o 'elegeu' como o melhor da Copa.

Fonte: O Povo

Mensagem de um fã (nº 12)

O David foi um campeão, mesmo não erguendo aquela taça, ele foi um campeão. Lamento, pois queria ver ele sorrindo e feliz. Mas nem tudo na vida são rosas, e temos que aprender a lidar com cada tipo de situação, aprender a ganhar e a perder, principalmente a perder...
Saiba David que mesmo você não ganhando a Copa, você é um campeão pra milhões de pessoas, milhões de fãs que te admiram. Firme e forte David, você é um herói!

Enviado por: Dienifer (via comentário no blog)

Mensagem de um fã (nº 11)

David luiz voce teve uma atitude linda com aquele jogador entao , nao se preocupe por que aquele que esta la em cima ele ve tudo oque fazemos entao a esperança e a ultima que morre ! forçadavidluiz nois teamamos ..

Enviado por: Luiz Vitor Deroncio (via comentário no blog)

Mensagem de um fã (nº 10)

Que pena que terminou assim, triste de engolir... Mas é preciso saber reconher o talento, a garra, o esforço, o carinho com a torcida, de profissionais como esse, David Luiz chorei ao ver vc pedindo desculpas, era naquele momento o único que não precisa pedir... Você é mais que vencedor hoje e sempre, por ter Deus em sua Vida, o Brasil te conheceu melhor e aprendeu a amá-lo. Estou aguardando sua alegria ansiosamente, aparece!!!

Enviado por: Eliane M Silva (via comentário no blog)