terça-feira, 25 de novembro de 2008

David Luiz - O quarto mosqueteiro

Quique concretiza ideia original de Camacho: brasileiro vai ser o defesa-esquerdo titular
As justificações da aposta

Depois de uma penosa travessia do deserto, David Luiz, 21 anos, está finalmente de regresso às opções de um treinador do Benfica. Foi Fernando Santos quem o trouxe para a Luz, em Janeiro de 2007, contratando-o ao Vitória da Baía e foi na vigência do actual técnico do PAOK de Salónica que o central da selecção sub-20 do Brasil deu nas vistas. Quando Santos foi substituído por Camacho, após a jornada inaugural de 2007/08, os encarnados esperavam muito do jovem natural de Diadema, São Paulo.
Porém, na ânsia de mostrar serviço ao treinador de Cieza, David Luiz não mediu riscos no primeiro apronto e lesionou-se com gravidade. Foi um calvário de mais de 15 meses, feito de avanços e recuos que agora conheceu fim. David Luiz está apto para jogar e acaba por ser outro técnico espanhol, Quique Flores, a fazer o que Camacho tinha pensado, ou seja, colocá-lo na esquerda da defesa.
Fazia parte das ideias de José António Camacho aproveitar a qualidade de David Luiz, e ao mesmo tempo apostar na dupla Luisão/Katsouranis para o eixo da defesa, evitando assim uma repetição de médios (Petit e Katsouranis, ambos de matriz defensiva). Com a direita entregue a Maxi ou Nélson, a esquerda era o destino, traído pela lesão, mais do que provável para David Luiz.
E Léo? Camacho nunca aceitou bem a falta de eficácia defensiva do veterano brasileiro, nem lhe agradava ter um jogador tão baixo no quarteto mais recuado.

Chega Quique Flores

Com a chegada de Quique Flores, a situação de David Luiz esteve sempre pendente da recuperação física plena. E aí, honra lhe seja feita, o técnico encarnado teve a sabedoria suficiente para não ter pressa. Deixou que o defesa recuperasse e ao primeiro sinal de que este estava demasiado ansioso (e com alguns sintomas de pubalgia...) colocou-o de parte, a realizar trabalho específico. Quando o chamou para a competição, Quique fê-lo com sentido táctico específico, concretizando o que Camacho esboçara: dar-lhe a esquerda da defesa, com a missão de dar apoio aos centrais e equilibrar a vocação maioritariamente atacante de José Antonio Reyes.

Esta época, sem Léo, que nunca entrou realmente nas contas de Quique, o treinador espanhol teve a grata surpresa de receber um Sidnei, 19 anos, pleno de qualidade; e teve a ciência suficiente para colocar Maxi Pereira na sua posição natural de defesa-direito. Na esquerda, causou alguma sensação a forma como preferiu Jorge Ribeiro a Léo. Cedo se percebeu, contudo, que o ex-boavisteiro dava mais liberdade criativa a Reyes e foi isso que, aliado a uma fiabilidade assinalável, lhe permitiu entrar no onze.

Agora, com David Luiz a ser alternativa real para a titularidade, Quique Flores transformou-o no seu D'Artagnan, o quarto mosqueteiro, que juntou a Maxi, Luisão e Sidnei, ou seja, a Athos, Porthos e Aramis.


Vantagens na esquerda

Que vantagens tem a colocação de David Luiz na esquerda? Em condições normais, o Benfica não precisa de desfazer a dupla Luisão/Sidnei, que tem dado boa conta do recado; ao mesmo tempo não desvaloriza David Luiz, jogador referenciado pelos maiores clubes da Europa. Ganha em altura (é bom não esquecer que metade dos golos sofridos esta época foram na sequência de lances de bola parada, cinco dos quais após pontapés de canto) e mantém rodado David Luiz, candidato natural, também à posição de central em caso de impedimento de um dos actuais titulares. Aliás, com Luisão em dúvida para Atenas, está em cima da mesa a possibilidade de Sidnei fazer dupla com David Luiz contra o Olympiakos, entrando Jorge Ribeiro para a esquerda.

Em suma, Quique encontrou colocação para David Luiz, dentro do sistema táctico que defende e da dinâmica que pretende para o flanco esquerdo. O que enriquece ainda mais o mais completo plantel benfiquista dos últimos anos.

Um Guerreiro

David Luiz entrou com o pé esquerdo no Benfica, dado que a sua estreia, frente ao PSG, em Paris, foi a frio, entrando para o lugar de Luisão, lesionado, e ficando ligado a um golo dos gauleses logo nos primeiros momentos no relvado. Porém, quem viu a segunda parte desse encontro logo ficou convencido em relação ao perfil e ao carácter deste jovem, que pode ser definido como um guerreiro. Luta, mas tem atributos mais amplos do que apenas o seu físico. Gosta de ter a bola nos pés, é rápido e tem bom jogo de cabeça. Mas mostrou ser, de facto, um guerreiro na forma como ultrapassou as graves e sucessivas lesões.

Fonte: A bola

3 comentários:

Captain Kid disse...

continuo a preferir o david luiz a central e sinto falta do léo, mas ao mesmo tempo percebo a intenção de quique.

Maestro disse...

Aposto que vais ser mais feliz apartir de agora...

Beijinhos

margaridabenfiquista disse...

eu tambem aposto que a partir de agora vais irradiar felicidade princesa
beijinhos